Upload Cover

Iprichmond`s Uploads

  • O Natal chegou. E agora
    O Natal chegou. E agora Uma das frases mais repetidas em todo fim-de-ano, ironicamente, foi expressa por um cantor que não demonstrava nenhum sentimento religioso de fundamento sólido. O cantor do grupo “The Beatles”, John Lenon, disse “Então é Natal, o que você fez”.
    iprichmond 00:05:39 180 0 Downloads 0 Comments
  • Tocando Nas Vestes De Cristo
    Tocando Nas Vestes De Cristo PALAVRA DO DIA: Tocando nas vestes de Jesus Lucas 8:43-48 23 de novembro de 2015 "Alguém tocou em mim; eu sei que de mim saiu poder", Lc 8:46 --- Temos acompanhado a tribulação e orado por muitas pessoas que estão sofrendo com os males próprios deste século, tais como a depressão, a síndrome do pânico, a síndrome de “burnout” e a síndrome do pensamento acelerado. Talvez menos a última, todas elas têm um lugar comum que é a perda do sentido da vida, a perda da alegria de viver, não vêem mais aquele motivo que nos impulsiona a engajar em nossas rotinas e obrigações diárias com determinação. Aquilo que, no fim do dia, nos dá uma sensação de que o dia valeu, de que a missão foi cumprida, nos alegrando o coração, mesmo que nos ponha em trapos de tanto cansaço. --- Acorre-me à imaginação o estado psicológico e emocional de uma mulher que viveu doze anos com uma hemorragia. Lucas não entra em detalhes médicos, mas comentaristas concordam que tratava-se de algo como um período menstrual interminável. A lei hebraica diz que a mulher torna-se impura durante seu período mentrual. "Quando uma mulher tiver sua menstruação, ficará impura pelo período de sete dias. Quem tocar nela naquele tempo será igualmente considerado impuro até o pôr do sol", Lv 15:19. --- Nenhuma mulher moderna consegue ter uma mínima idéia do que era se sentir impura naquele tempo. A impureza naqueles dias tinha sentido físico e espiritual. O drama daquela mulher era dúplo, estava impura aos olhos dos homens e impura relação a sua religião. Ela não podia tocar e nem ser tocada, pois isso fazia o outro também impuro. Tocar propositalmente alguém, principalmente um homem, tinha conseqüências graves. --- Quando essa mulher toca nas vestes de Jesus, um milagre acontece. Imediatamente se sentiu purificada. Entretanto, sentiu-se incomodada quando o Mestre insistiu em saber quem o tocou. Ela porém, diante da benção que tinha recebido, não se importou que o Mestre lhe aplicasse uma repreensão por ter tocado em suas vestes. Assim, ela se apresentou diante dele de coração alegre e grato e o adorou. Mas Jesus Cristo se dirige a ela e diz "mulher, a tua fé te curou". Isso a fez sentir-se três vezes abençoada: pela cura física, pela restauração de seus relacionamentos e pelo reconhecimento de sua fé. Sua vida foi restaurada. --- Seja qual for o seu drama, busque a Jesus e toque em suas vestes através da oração, pois de suas vestes sairão poder sobre sua vida e seu drama será aliviado. Se você não tem grandes dramas, com certeza conhece muitos que estão passando pela opressão dos males deste século e necessitam sua intercessão. Lembre-se deles, interceda por eles, e convide-os a tocar as vestes do Mestre pela oração. E encontrarão alívio para suas almas, Mt 11:29b. --- Deus abençoe o seu dia e que poder saia e cubra sua vida ao tocar as vestes dos Mestre em oração. Paz! Pr. alcenir
    iprichmond 00:08:46 484 0 Downloads 0 Comments
  • Vamos morrer
    Vamos morrer PALAVRA DO DIA - Vamos morrer! Lucas 8:22-25 20 de novembro de 2015 "Mestre, Mestre vamos morrer!", Lucas 8:24a. --- A sexta-feira 13 de novembro de 2015 foi a inauguração de uma nova fase da política de segurança global. Quando a vida é desestabilizada pelo terror da morte, ou rumor de morte, o ser humano entra em pânico e sua mente começa a buscar alternativas para enfrentar o perigo. A comunidade internacional estava atenta, vigiando, investigando, criando banco de dados sobre suspeitos. Entretanto, não foi suficiente, pois o terrorismo é como a Barragem do Fundão, sempre haverá uma possível infiltração no paredão de contenção que vai corroer sua base, provocando um rasgo que vai trazer abaixo a frágil segurança da população. --- A vida em geral é assim. Quando catástrofes provocadas voluntariamente pelo próprio homem para feirir seu semelhante, ou provocadas por fenômenos da natureza que excedem a normalidade de sua grandeza, sobre o que neste caso não temos controle, somos surpreendidos sem recursos para nos defender. Da mesma forma, isso acontece quando somos tomados por enfermidades graves. Por isso, devemos estar em alerta. E, sempre que for possível, devemos ser proativos, ou seja, antecipar possíveis infiltrações no paredão de contenção da "barragem", seja ela qual for, para que a castástrofe seja eliminada antes que seja tarde, ou pelo menos remediada. --- Os males deste mundo são tão sutis quanto à infiltração do paredão de contenção. Quando não são vigiados e confrontados, também vão corroendo o paredão de segurança de nossa vida espiritual. De gota em gota, o materialismo e o mundanismo vão amolecendo os pilares de nossa fé e os enfraquecendo. Aos poucos, sem nos dar conta, acabamos sendo inseridos em verdadeira tempestade de atropelos. Por isso, é necessário exercitar e praticar nossa fé, vigiando e buscando a proteção do alto. "Vigiai e orai para que não caiam em tentação. Na verdade, o espírito está pronto, mas a carne é fraca", disse Jesus Cristo, Mt 26:41. "Vigiai, porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando quem possa tragar", disse o Apóstolo Pedro, 1 Pe 5:8. --- Os discípulos navegavam tranqüilos. Não eram marinheiros de primeira viagem. Pelo contràrio, eram pescadores experientes, acostumados com os perigos do mar. Foram, porém, surpreendidos pela tempestade. Certamente tentaram todos os recursos que um marinheiro experiente sabe usar em circunstâncias adversas como aquela, até concluírem que só Deus poderia salvá-los da morte. Nesse momento, o pânico já tinha se instalado e sequestrado suas emoções. Foi quando lembraram que Jesus estava no barco deles. "Mestre, vamos morrer! E ele, lenvantou-se, repreeendeu o vendo e a fúria da água; e cessaram, e fez-se bonança". --- Quando não revigoramos nossa fé, através da Palavra, da prática consciente da fé, as atividades do dia-a-dia vão nos cegando espiritualmente até não conseguirmos mais ver Jesus Cristo através da tempestade de bugingangas que a vida moderna, com uma mãozinha do diabo, faz chover em frente aos nossos olhos, fazendo se instalar uma tempestade intransponível, sobre a qual não nenhum poder senão aquele que vem do alto. Vigiai, diz a Palavra. --- Deus abençoe o seu dia e o inspire, através do Espírito Santo, a estar em vigília constante. E que ele o foraleça espiritualmente com o poder da Palavra, ingerida diariamente, para fortalecer seus músculos e inteligência espirituais. Assim você esteja preparado para fazer face às investidas e às tempestades geradas pelo inimigo da cruz para nós. Paz! Pr. Alcenir
    iprichmond 00:04:51 137 0 Downloads 0 Comments
  • Não Chore!
    Não Chore! PALAVRA DO DIA - Não chore! Lucas 7:11-16 19 de novembro de 2015 "Ao vê-la, o Senhor se compadeceu dela e disse: 'Não chore'!", Lucas 7:13. --- A formação da família no século 20 e 21 é feita baseada na comunhão de bens, ou seja, é uma comunidade de bens em comum. É uma comunidade participativa. Nos tempos bíblicos, a mulher ocupava uma posição pouco acima do escravo. Segundo nos conta as crônicas a respeito dos judeus, dizem que oravam todos os dias pela manhã agradecendo a Deus por não terem nascido mulher, gentio, nem escravo. O homem era o provedor. Quando este falecia, a viúva tinha que contar com os filhos para mantê-la e ao restante da família. --- A atividade econômica da mulher era doméstica, e, principalmente cuidar da criação dos filhos. Logo, ao ficar viúva e sem filhos, estaria sujeita à caridade da comunidade. É em virtude disto que Deus sempre exigiu do povo cuidar dos orfãos e das viúvas. A graça de Cristo traz para a igreja uma revolução social, baseado em que a partir de sua fundação, a comunidade passa a ser ensinada que todos somos iguais; já não há escravo, livre, mulher, gentio, judeu, Gl 3:28. Jesus Cristo sabia o que significava para aquela mulher que, depois de perder o marido, perdeu também o único filho. Por isso, ele se compadece intimamente e lhe diz para não chorar. --- Em seu vale de lágrimas, aquela mulher tem um encontro com Jesus Cristo que, na sua humanidade, se empatiza com ela e se comove com sua dor. Ele, ao mesmo tempo Deus, tem o poder de transformar um clima de lamento, de desesperança, de promessa de uma vida atribulada para a viúva a partir de então. Jesus Cristo caminhou neste mundo como homem, sendo capaz de ver, sentir e se comover com nossa tribulação e nossa dor. Ele não só viveu a nossa vida de tribulação, mas também morreu a nossa morte. É nele que encontramos força ao caminhamos peregrinos pelo nosso vale de lágrimas, Sl 84:5-6 (KJA). É nessa condição que a viúva de Naim tem um encontro com Jesus Cristo que lhe devolve seu filho para lhe fazer companhia no seu drama de viúva. --- O pecador perdido caminha por este mundo como "no vale de lágrimas", Sl 84:6, sem esperança e sujeito a toda sorte de tribulação. Sua esperança de incrédulo se restringe a esta vida e o torna "o mais infeliz de todos os homens", 1 Co 15:19. Como servos do Senhor, novas criaturas transformadas pelo poder do Evangelho de Cristo, devemos ter a mesma atitude do Mestre e nos comover com a tribulação daqueles que não foram alcançados pelo Evangelho, aqueles cuja esperança não vai além do limite desta vida. --- Deus abençoe o seu dia e o faça cada vez mais eficiente como representante de Cristo para levar, através de sua vida, seu testemunho e as palavras de sua boca a boas novas de salvação em Cristo Jesus. Paz! Pr. Alcenir
    iprichmond 00:04:15 108 0 Downloads 0 Comments
  • Humano, Ainda Que Poderoso PALAVRA DO DIA - Humano, ainda que poderoso Lucas 7:1-10 17 de novembro de 2015 --- "Senhor, não te incomodes, porque não sou digno de que entres debaixo do meu telhado", Lucas 7:6b. --- Os maiores problemas de relacionamento no trabalho geralmente acontecem entre chefes e subordinados. Grandes amizades no trabalho costumam acabar quando um dos amigos assume a chefia. O desafio do poder de mando ou de comando é difícil de ser administrado por certas pessoas. Além de que o exercício de poder corrompe o indivíduo, segundo Michel Foucault. Mais doloroso é saber que até mesmo crentes em Cristo mudam sua atitude quando assumem posições de comando. Conta-se de um simpático membro da igreja, amado de todos e grande servo até ser eleito diácono, tornando-se excessivamente arrogante e antipático. --- Muitos são desafiados pelo poder para controlar a vida de outras pessoas a seu favor. Outros usam-no para adquirir prosperidade ilícita. E ainda há aqueles que usam-no para conseguir favores imorais, ato que é classificado criminalmente como assédio. --- O texto não descreve bem quem era o centurião. Sabemos que o centurião era o quarto no comando militar de Roma. Acima da Centúria (100 soldados), vinham os Manípolos, a Coortes. Esses compunham a Legião. Diz-se que uma legião chegava a ter até 60 centúrias. Porém, nesse diálogo à distancia com o Mestre aprendemos muito a respeito dele. --- Primeiro, ele era um homem que cria em Deus. Ele era amigo dos judeus, construiu uma sinagoga e certamente freqüentava os cultos. Possivelmente era um prosélito, gentio que está no processo de dissipulado para ser recebido na religião judaica. Chamam isso de nascer de novo, como a pessoa que é salva por Cristo na igreja. O judeu acreditava que ao passar pelo renascimento como judeu, o indivíduo perdia a hereditariedade gentílica, a ponto de poder casar com sua irmã ou mãe e não ser considerado incesto. --- Segundo, ele demonstra ser um comandante que respeita e trata seus subordinados com dignidade. Os romanos eram duros com os servos. Tratavam eles como ferramentas de trabalho. Entretanto, este lida com seu servo como um ser humano. Demonstra um grande amor fraternal por ele na sua luta contra a enfermidade. Essa é a imagem do membro da igreja, cidadão do Reino de Deus que Cristo anuncia para além de Atos 2. Entristece-me o coração quando tomo conhecimento de irmãos que têm empreendimentos e tratam seus "helpers" como se fossem seus carrascos, sem a menor misericórdia. Lembro de pessoas que, ao se referirem a seus chefes em "house cleaning" aqui nos EUA, as lágrimas enchiam seus olhos. Isso mancha a glória do Reino de Deus que a igreja anuncia ao mundo. --- Terceiro, demonstra humildade diante de Jesus Cristo. Reconhece nele o Messias, filho de Deus, capaz de realizar curas impossíveis para os médicos. Essa é uma atitude que alguns líderes denominacionais só ensinam mas não vivem. Se encontrassem o Mestre hoje questionariam porque com tanto poder ele não anda de jatinho milionário e carrões ultra confortáveis, caros e não vive em mansões super luxuosas. Já que ele veio para tivéssemos vida abundante. Demonstram um desvirtuamento do poder do Evangelho de Cristo. O "... que vos ameis uns aos outros", inclue também os líderes - diáconos, presbíteros, missionáiros, pastores, bispos, profetas, apóstolos, arcanjos -. Não é um mandamento só para o membros sem ofício de liderança. --- Ele era um exemplo de fé, em quarto lugar. Embora sendo homem de grande poder perante os homens, em virtude de sua humanidade corrupta e pecaminosa, reconhecia não ser digno de receber o Mestre em sua casa, humilhando-se diante do filho de Deus. Ele tinha poder militar, mas reconhecia que isso nada significava diante do poder divino, espiritual, sobrenatural de Jesus Cristo. Com humildade e fé intercede pelo seu servo. --- Jesus Cristo reconhece pela primeira vez fé genuína vinda de alguém que não faz parte do povo de Israel, de um gentio. "Eu lhes digo que nem em Israel encontrei tamanha fé". Devemos exercitar nossa fé, viver com humildade, mesmo quando em nossa carreira profissional ou social haja motivos de orgulho, mesmo porque nada temos que não seja pela vontade de Deus, como bençãos suas. Que glória quando pelo exercício, a prática de nossa fé, recebemos o reconhecimento de Jesus Cristo! --- Deus abençoe o seu dia e o capacite a exercitar, praticar sua fé, com a humildade e a reverência ao Filho de Deus demonstrada pelo centurião romano. Paz! Pr. Alcenir
    iprichmond 00:05:55 158 0 Downloads 0 Comments
  • Lepra ou Hanseníase
    Lepra ou Hanseníase PALAVRA DO DIA - Lepra Lucas 5:4-11 13 de novembro de 2015 --- Lembro-me que na minha infância circulava conversas sobre famílias que tinha parentes com a "hanseníase", nome científico da lepra, causada pela bactéria "Bacilo de Hansen". Temíamos ter contato com pessoas infectadas sem saber que estavam doentes, porque diziam ser muito contagiosa. Aconselhavam então que não deviamos usar água de córregos que passavam próximos de casa desses doentes. Hoje a hanseníase tem cura, mas precisa ser tratada no início de seu desenvolvimento. --- Nos tempos bíblicos, porém, nem se imaginava a possibilidade de cura e as restrições impostas à vida do doente eram muito severas. Na comunidade judáica, a cultura religiosa e as regras de prevenção de doenças (profilaxia) eram muito rígidas contra a lepra. Costumam dizer que naquela época os leprosos eram verdadeiros "mortos-vivos" (living dead). --- O homem que Jesus encontrou era digno de misericórdia, tendo em vista seu fardo de sofrimento. A sua dor tomava muitos aspectos. Primeiro era a dor da degeneração física, ou seja, a cada dia que passava a doença progredia mais, e certamente o incomôdo, a dor, a sensação de sujeira eram enormes. --- Em segundo lugar, a dor emocional era um espetáculo de sofrimento pela baixa auto-estima, e por ser impedido de receber os afagos carinhosos de seus familiares. Em terceiro lugar, vinha a dor religiosa; esse tipo de dor doia no profundo da alma, pois o judeu julgava que uma doença sem cura, mortífera, era conseqüência de um pecado terrível na vida da pessoa; somando-se ao fato de que a pessoa se tornava imunda em relação aos preceitos religiosos. --- A doença era diagnosticada pelo sacerdote e, se houvesse cura, o sacerdote tinha que dar um certificado para o indivíduo retornar à vida normal, além de ter que prestar um sacrifício. Em quarto lugar, estava o aspecto social da doença que causava grande dor, pois a pessoa não podia ter contato com o público, vivia fora da cidade, longe da família, e era digno de caridade. Quando encontravam alguém pelo caminho, tinha que gritar à distância para que ninguém se aproximasse. Em último lugar, o indivíduo tinha que lidar com a dor do aspecto cultural. Viviam como se fossem bruxas, considerados repugnantes, sujos e amaldiçoados. --- Esse é o retrato da condição daquele indivíduo que Jesus Cristo encontrou pelo caminho. Ele é um exemplo do alvo da missão de Jesus Cristo, que veio buscar e salvar aqueles que se encntram mortos em seus delitos e pecados, mortos-vivos, trazendo os de volta à vida, Ef 2:1. Foi o que Jesus Cristo celebrou na vida daquele homem. --- Aquele miserável, na expressão de paulo, sob o jugo do corpo da morte, era a representação viva da condição do pecador. "Miserável homem que sou! Quem me livrará do corpo desta morte?", Rm 7:24. Embora sob a condição de morte imposta por seu infortúnio, ele demonstra fé, adoração, reverência, esperança e submissão à vontade de Deus ao prostrar-se diante do Mestre, dizendo "Senhor, se quiseres, podes curar-me". --- Deus abençoe o seu dia e que o evangelho da salvação que está em você possa a cada dia brilhar mais, contagiando e trazendo purificação àqueles que estão submissos, escravizados pela imundícia do pecado. Paz! Pr. Alcenir
    iprichmond 00:04:05 295 0 Downloads 0 Comments
  • PALAVRA DO DIA - Ausenta-te de mim, pois sou um pecador
    PALAVRA DO DIA - Ausenta-te de mim, pois sou um pecador PALAVRA DO DIA - Ausenta-te de mim, pois sou pecador Lucas 5:4-11 12 de novembro de 2015 --- Tenho visto muita indignação de pastores e líderes de igrejas sobre o movimento evangélico (gospel) do Brasil. Há um deslumbramento geral e a pregação de um evangelho diferente do evangelho transformador de Cristo Jesus. Pregam um evangelho do "feel good". É um evangelho em que seus seguidores não encherão as igrejas se não houver grandes shows musicais, danças e profecias de prosperidade. --- Em seus cultos, não se busca mais a presença de Deus. Busca-se a imitação dos grandes fenômenos musicais através de grupos de louvor super equipados, que reúnem excelentes músicos e cantores. Devemos sim ter o melhor para louvar e adorar a Deus, mas isso não deve ser a prioridade em nosso compromisso de que Deus seja glorificado em nossa vida. A reverência ao Senhor de nossas vidas perdeu lugar nesse evangelho. --- Na sinagoga, admiradas as pessoas exclamavam "que palavra é esta?". Às margens do mar da Galiléia, Pedro pede ao Mestre para se ausentar por temor de ser fulminado pela presença poderosa de Deus. O poder da palavra edificadora é a tônica do verdadeiro e angelho. --- O evangelho transformador de Jesus Cristo é aquele que chama os pecadores ao arrependimento. Ao ouvir a palavra, o pecador se convence de sua condição. Pedro se convenceu a respeito de si próprio, de sua condição de pecador, quando seus olhos se abriram e viu que estava na presença do filho de Deus. --- Esse é o evangelho que nos convence de nossa condição pecadora e nos redireciona ao arrependimento. Os olhos de Pedro estavam voltados para as coisas materiais, a provisão do dia-a-dia, o bom resultado de seu empreendimento pesqueiro. Quando seus olhos se abrem para Deus, sua vida dá completa reviravolta, deixando seu ofício de pescar peixe para dedicar-se à pesca espiritual - pescador de homens. --- Deus abençoe o seu dia e faça cada vez mais evidente em você o evangelho do poder de Deus para a salvação de todo o que crê. Paz! Pr. Alcenir
    iprichmond 00:02:55 252 0 Downloads 0 Comments
  • Completei a Carreira - Louvor e Palavra - 7 de junho, 2015
    Completei a Carreira - Louvor e Palavra - 7 de junho, 2015 Vitória, a sexta palavra da cruz. 2 Tm 4:7; João 19:29-30 É difícil encontrar alguém de nós que nunca se envolveu em um projeto para realização de um objetivo muito importante. O plano de longo prazo de nossa vida é dotado de projetos que fazem parte da estratégia que adotamos para para alcançarmos o máximo de realização dos nossos sonhos, da nossa visão de futuro para nossa vida. Quando criança a gente ouve com muita freqüência a pergunta “o que você vai ser quando crescer”. Alguns não crescem em estatura, mas tornam-se pessoas de grande valor para a comunidade, para a igreja, para a sociedade, para o país e até para o mundo. Você acha que essa pergunta tem sido respondida na sua vida? Às vezes a nossa vida passa, mas não nos damos conta de que um grande projeto está sendo executado através de nós. Alguém diria “eu não tenho nenhum projeto, pastor”. Você acha que não? Vamos ver. Você tinha o sonho de conhecer os EUA, você está aqui. Você sonhava em encontrar uma pessoa para se casar, a maioria de nós encontrou e casou; esse é um projeto de grande responsabilidade. Mas vamos mais além. De repente você é pai ou mãe; esse é outro projeto de imensa importância. Muitos de nós estão engajados nesse projeto tão imenso. Alguns sonhavam em um dia ter a sua própria casa e já têm. Outros tiveram oportundiade de alcançar o sonho de ter uma profissão especial, dedicaram-se aos estudos e alcançaram. Assim, nós vamos preenchendo nossa jornada que chamamos de estratégia. Estratégia é o caminho que vamos percorrer para alcançar o objetivo geral, maior de nossa vida. A estratégia é distância entre o aqui e agora e o momento que sonhamos no futuro, a visão de um lugar muito especial de realização no futuro. Ela é a trajetória que traçamos para chegar lá. Nessa caminhada, muitos projetos serão concluídos e celebrados. A soma desses projetos realizados serão os pilares do nosso castelo de sonhos do futuro. Como é maravilhoso nessa caminhada, vermos o momento que ouvimos a expressão “confiro o diploma de engenheiro, médico ou qualquer outro grau superior”. Como é bom ouvir o anúncio “eu vos declaro marido e mulher”. Quanta emoção temos quando ouvimos o primeiro choro do primeiro, do segundo ou demais filhos. A emoção de ver os filhos receberem diplomas, realizarem seus próprios sonhos, se empregarem em bons empregos ou serem bons empreendedores. Como nos alegra ver que os princípios que ensinamos a nossos filhos os formou cidadãos honestos e integros na sociedade. Poderiamos fazer uma lista imensa de projetos que vão se realizando em nossa vida. São bençãos de Deus sobre as nossas vidas. Nossa igreja adota o título de presbítero para os oficiais da igreja. Essa palavra refere-se ao ancião. São pessoas que já cumpriram maior parte do seu projeto de vida. São pessoas experientes que podem ser conselheiros para àqueles que estão vindo atrás. Houve um grande homem que, no fim dos seus dias, disse “Combati o bom combate, terminei a carreira, guardei a fé”. “Você, porém, seja sóbrio em tudo, suporte os sofrimentos, faça a obra de um evangelista, cumpra plenamente o seu ministério. Eu já estou sendo derramado como uma oferta de bebida. Está próximo o tempo da minha partida. Combati o bom combate, terminei a corrida, guardei a fé. Agora me está reservada a coroa da justiça, que o Senhor, justo Juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amam a sua vinda”, 2 Tm 4:6-8. Ainda mais importante do que ele, Jesus Cristo sela a realização de seu sonho missionário na terra dizendo “tudo está consumado”, a sexta palavra da cruz. Eu lutei – combati. Paulo usa seu contexto que é um “mix” político-sócio-cultural, em que os maiores eventos de diversão aconteciam nas arenas. Ali realizavam competições de lutas entre gladiadores, enfrentamento de feras, em que o vencedor ganhava a liberdade e por conseguinte a vida. A derrota significava a morte. No verso 17 ele diz que foi liberto da boca do leão. As lutas e competições eram verdadeiros shows de demonstração de inteligência, força, preparo, treinamento e muita determinação. Bom combate. Paulo prossegue dizendo que lutou com beleza, fez uma boa luta, tecnicamente bem feita, combateu com excelência, fez um bom combate. Essa sua capacidade vinha do Senhor que estava do seu lado e lhe deu forças, ele era alimentado pelo Espírito Santo. Sua luta consistiu em que por ele a mensagem fosse plenamente proclamada. Completei a carreira. Completei a corrida, cheguei ao final da competição. Muitas vezes a competição eram corridas em que os competidores estavam com armas, lanças ou flechas, e tinham que criar obstáculos para o concorrente não lhe tomar a frente e ganhar a competição. Guardei a fé. Lutou com excelência essa competição, sem fraquejar, impulsionado pela chama da fé e, assim, chegou ao final da corrida e da competição. Nessa competição, o leão era o seu adversário. Se ele perdesse, viraria comida de leão. No verso 17, Paulo refere-se a sua defesa pública dizendo que nenhum dos seus colaboradores e amigos estava presente. O Senhor, porém, lhe deu forças para proclamar a mensagem que foi o conteúdo da sua defesa. Assim, os gentios presentes ouviram a Palavra. A Palavra proclamada foi a tônica da sua defesa, e representou a luta. Essa foi a luta contra as artimanhas daqueles que o queriam derrotado na sua liberdade de proclamar as boas novas de Cristo. A Palavra foi a arma que lhe deu a vitória, tendo o Senhor como seu sustentador. Assim ele foi então liberto da boca do leão. Paz! Pr. Alcenir
    iprichmond 00:39:58 223 0 Downloads 0 Comments
  • PALAVRA DO DIA - Enough
    PALAVRA DO DIA - Enough PALAVRA DO DIA - Enough "Enough" is enough! --- Eu me divirto com expressões "burras" que são usadas com freqüência. A expressão "Enough is enough!" é uma delas. Traduzindo, "bastante é o bastante". É como a expressão brasileira "Uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa". Só quem vive o contexto da conversa vai entender o seu significado. --- Dentre a multidão que ouvia Jesus, um indivíduo pediu-lhe para mandar seu irmão dividir a herança com ele (Lc 12:13-21). Disse Jesus, em resposta, que o valor da vida de uma pessoa não está naquilo que ela possui, mas no relacionamento rico que ela tem com Deus. --- "Enough is enough!", ou seja, ter o suficiente para levar uma vida digna, cumprir seus compromissos pessoais, familiares e sociais, e reservar disciplinadamente tempo para dedicar-se, com alegria e gratidão, à sua missão de representante do Reino dos Céus nesse mundo que precisa tanto do socorro, da paz e do conhecimento Deus. --- Vejam as aves do céu! Vejam os lírios do campo! Não tecem e nem colhem, porém Deus as sustém, Lc 12:24 e 27. --- Afinal, "enough is enough!". Tenha o bastante, mas reserve um espaço bem confortável para Deus na sua vida, e Ele o recompensará. --- Deus abençoe is seu dia! --- Ouça o cântico "Coração de Jó": http://youtu.be/7lDjz7teRZo Paz! Pr. Alcenir
    iprichmond 00:02:21 283 0 Downloads 0 Comments
  • Tenho Sede
    Tenho Sede Tenho Sede João 19:28 31 de maio de 2015 https://youtu.be/soxvmoQKTZ0 Nós costumamos dar valor a algum produto que é muito farto e comum entre nós quando vivemos uma circunstância em que esse produto praticamente não existe. Lembro que no Iraque uma das coisas que super apreciávam era a banana, porque banana é produto importado e portanto caro e raro. Nós viajavamos e traziamos banana. Quando as pessoas viam, desejavam aquela preciosidade. No Brasil há lugares em que bananas se perdem. Mas não quero falar de bananas. Quero falar de água. É óbvio que todos nós temos sentido últimamente um grande temor de que água venha a se tornar um elemento ainda mais essencial e precioso do que já é. Quando abrimos uma torneira ou um chuveiro, se refletíssimos sobre a importância daquele líquido cristanilo que jorra em nossa frente, só usaríamos o estritamente necessário. Em uma das minhas últimas “Palavras do Dia”, falei sobre esse mistério que é a água. Nós somos água. Nosso corpo contém entre 70 e 75 por cento de água. A água é a fonte de vida da qual dependemos para existir. Um artigo do Brasil das Águas diz que "não importa quem somos, o que fazemos, onde vivemos, nós dependemos dela para viver". A água está em tudo. É o maior volume bioquímico dos corpos de seres vivos, é usada na indústria, agricultura, tem de estar no meio ambiente para manutenção da vida de todas as espécies, faz parte de religiões e culturas. Em fim, sem água não há vida. Jesus Cristo proferiu uma de suas metáforas mais bonitas em Samaria junto ao poço de Jacó, em um diálogo com uma mulher Samaritana, João 4:14. Ele disse que "a água que Ele der se fará naquele que a beber uma fonte que jorra para a vida eterna". Em adiante, em João 7:38, ele complementa, dizendo que "... do seu interior fluirão rios de água viva". Quando Jesus Cristo se refere a si como "Água da Vida" ele soa redundante, pois a vida só pode existir se houver água. A NASA pesquisa o universo para detectar um planeta onde haja água, pois onde há água muito provavelmente há vida. Jesus quer dizer, entretanto, que bebendo da água de sua fonte, não mais teremos sede por toda a eternidade. A água de Jesus Cristo é o Espírito Santo e nossa sede é a sede de vida eterna. Ao bebermos do Espírito Santo ou Ele tomar posse de nós, ao recebermos de Jesus Cristo como nosso redentor, estamos selados para trocar esse corpo, dependente da água material diariamente, por um corpo glorificado como o d'Ele depois da ressurreição que não mais precisa de água para sobreviver. “Tenho sede!”, disse Jesus Cristo na cruz, (João 19:28). Estamos falando de água porque quando dizemos “tenho sede”, a primeira idéia que a palavra nos traz é da água. Se qualquer um de nós disser que está com sede numa caminhada sob sol escaldante, ou durante um trabalho pesado sob o sol, não vamos perguntar se quer água, está óbvio. Está com sede. Porém, o dicionário bíblico de Strongs diz que no sentido absoluto ou literal, tenho sede significa estar com sede ou sofrendo por beber água. Mas quando tomamos o sentido figurativo refere a alguém que dolorosamente deseja, que ansiosamente espera por alguma coisa que refresca, alivia o ardor da alma, e isso que ele deseja ansiosamente vai fortalecê-lo ao receber. Ao dizer tenho sede Jesus verbaliza a urgência, a expectativa de ver chegada a hora em que a sua missão estará concluída e a humanidade tendo renovada sua esperança de um mundo melhor, de uma humanidade purificada, uma humanidade que até a institucionalização da busca de Deus chamada religião é motivo de guerra, de violências, de divisão entre famílias, de hostilidades entre povos irmãos. Jesus Cristo tem sede de purificação, transformação dessa humanidade individualista e egoísta, que leva consigo indivíduos capazes de embolsar corruptamente milhares de milhões de dólares enquanto milhões de indivíduos humanos iguais a ele vivem na absoluta miséria. Purificação e transformação dessa humanidade incapaz de entender as pessoas nas suas diferenças, grosseirias, ignorâncias, entender suas circunstâncias, mesmo não sabendo o que está por tráz do seu temperamento, comportamento, maneira de ser insuportáveis, amá-las incondicionalmente. Decorridas 18 ou 20 horas sem Se alimentar; sangrando pelos açoites, espinhos e cravos; as fortes emoções sentidas durante a noite do processo; a fadiga pelo transportar da cruz (segundo os estudiosos devia pesar uns 100 quilos); a perda de sangue, os cortes abertos, doloridos e já cheios de febre produziram em Jesus umaa grande intensidade da sede. Com a língua e os lábios secos, com as forças se acabando diz “Tenho sede” Uma grande contradição. Jesus é a fonte da água da vida, mas neste momento, ele próprio tem sede, a sede humana. Como ele próprio vai gritar em aflição “pai porque me desamparaste”, ele está vivendo exclusivamente em sua humanidade, sentindo o que eu e você sentiriamos naquele mesmo lugar, sentido os mesmos pregos atravessando nossa carne, sentindo os mesmos espinhos espetando a cabeça, sentido o peso do corpo sufocando os pulmões e impedindo respirar. E então tem sede. Sua sede era humana, física. Por ser um sofrimento puramente humano, sentia a sede de redimir todos que ele deixava sofrendo as agruras da vida sem sonhos de melhorar. Porém, a sede maior era “buscar e salvar o perdido” e os mortos nos seus delitos e pecados (Efésios 2.1). Ver os filhos e filhas dos homens sonhar novamente, sonhar com uma nova terra, uma nova humanidade, um novo reino. O Reino de Deus. A sede revela a fragilidade humana e nos faz sentir necessidade de buscar a Deus. Na cruz ele diz: "Tenho sede!" A sede de Deus: "Assim como a corça suspira pelas águas correntes, suspira igualmente minh'alma por vós, ó meu Deus! Minha alma tem sede de Deus, e deseja o Deus vivo. Quando terei a alegria de ver a face de Deus?" (Sl 42:1-2). "Sois vós, ó Senhor, o meu Deus! Desde a aurora ansioso vos busco! A minh'alma tem sede de vós, minha carne também vos deseja, como terra sedenta e sem água" (Sl 63:1). Jesus chama de bem-aventurados os que têm "fome e sede de Justiça" (Mt 5,6). A Justiça contra a mentira, contra falta de honestidade, contra todas as formas de corrupção. “Aprendei a fazer o bem. Buscai o direito. Corrigi o opressor. Fazei justiça ao órfão, defendei a causa da viúva!” (Is 1,17). Quero conclamar você meu irmão para, enquanto aqui vivermos, preservarmos e usar com inteligência, apreciação, respeito e economia esse tesouro da vida que Deus nos deu, com gratidão em nossos corações. Porém vamos celebrar com honra e louvor a água da vida que bebemos de Jesus Cristo. Se você ainda não bebeu, beba, e receba o selo da Vida eterna. Paz! Pr. Alcenir
    iprichmond 00:24:44 321 0 Downloads 0 Comments
  • show more
iprichmond
  • iprichmond
  • profile viewed 1122 times
  • message share profile
Who to Follow
X